Órgãos de Controle de Tráfego Aéreo – Controle de Aérea (ACC)

Localizados nos CINDACTA’s (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo), os Controles de Aérea (ACC) realizam o serviço mais abrangente que existe no Tráfego Aéreo. Responsáveis por áreas enormes (não mais os 80km do APP), os Centros controlam as aeronaves desde “o final” da subida, o voo em cruzeiro, até o começo das aproximações. Digamos que o gerenciamento de tráfego aéreo tem que começar no Centro de Controle, para evitar que, por exemplo, duas aeronaves cheguem na Terminal ao mesmo tempo, e uma delas tenha que fazer espera.

Existem 5 Centros de Controle no Brasil. Brasília, Amazônico, Curitiba, Recife e Atlântico. Destes, todos oferecem serviço de vigilância radar, exceto o Centro Atlântico, que, por cobrir áreas do oceano Atlântico, fisicamente, fica impossibilitado de ter radares em solo para tal serviço. Aí entra aquele mesmo conceito do Controle de Aproximação Convencional (sem radar, por reportes de posição você sabe se uma aeronave está ou não separada de outra).

Para aumentar a segurança na área do Centro Atlântico, está sendo implementado (se já não foi) os conceitos CPDLC e ADS-B/C. O que seria isso?

Em português CPDLC significa: Comunicação entre Controlador e Piloto por Enlace de Dados.

Pelo mesmo motivo dos radares, a instalação de antenas para difusão do VHF fica restrita no Centro Atlântico, por isso eles utilizam a comunicação HF (maior alcance, porém, menor qualidade,e quando eu digo menor, é MENOR mesmo. Aí entra outro conceito que você pode ver no Google, chamado SELCAL), por causa da baixíssima qualidade da HF, eles passaram a utlizar o CPDLC, que se resume a um MSN aeronáutico, com palavras padronizadas e sem a presença dos emoticons, heheh. O problema, é que por enquanto, não são todas as aeronaves que têm essa facilidade, mas a maioria já.

Já o ADS-B/C é uma facilidade que visa substituir o radar de solo, aonde não é possível a instalação destes. Funciona assim, o radar de solo, capta as informações da aeronave, com a ajuda do transponder, e repassa as informações para os controladores. Com o ADS-B/C, quem capta as informações é um satélite no espaço, que por sua vez, repassa as informações para os controladores.

Claro que nem tudo é de graça, se não me engano, existem diversos planos de tarifas nesses contratos. Algo do tipo: “se você quer que a cada 5 segundos suas informações sejam atualizadas você paga 10 reais. Mas se você quiser a cada 1 segundo, aí já custa 30 reais”.

Se não me engano, nos “radares” disponíveis em sites de escuta aérea, só aparecem as aeronaves que possuem o ADS-B/C. Por isso você não vê as aeronaves de pequeno porte, ou as mais antigas, porque elas não tem.

Pois bem, pessoal, terminamos todos os órgãos que prestam o Serviço de Controle de Tráfego aéreo. Espero que tenham gostado. Qualquer dúvida, ou sugestão, é só mandar um e-mail, ou comentário.

Anúncios
por Juvenal Júnior Publicado em Diversos

7 comentários a “Órgãos de Controle de Tráfego Aéreo – Controle de Aérea (ACC)

  1. Juvenal, você fica em qual Cidade? FIz o concurso e espero ser chamado em breve.Lá no EDITAL quando se fala “pressão psicológica” o querem dizer com isso? seria um aperto na carga de trabalho? Se possivel me mande a resposta por email. um abraço pra vc e felicidades.

  2. juvenal teria algum e-mail que pudesse passar…me interessei bastante pela profissão…irei prestar o concurso agora em 2011…gostaria de manter contato sobre novidades da profissão e sobre as dificuldades do curso..

  3. Juvenal, se eu fizer o concurso e for chamada com 17 anos existe algum recurso para que possa tomar posse?

  4. Show de Bola seu Blog, gostaria de de me inscrever para o concurso mas estou com medo de não dar tempo de estudar, é muito difícil a prova?
    As matérias que tenho mais medo é a legislação e o inglês.. também tenho medo por causa de rumores de privatizações..o que vc acha?

  5. Então Matheus,

    Tanto os controladores militares, quanto os civís, começam sua carreira passando em concurso público para a Força Aérea ou para a Infraero.
    Os controladores da Força aérea, vão para Guaratinguetá, fazer o curso de BCT (Básico de Controle de Tráfego) na EEAR (Escola de Especialista da Aeronáutica), aí tem a duração que varia dependendo do curso, mas é algo como 2 anos, 1 ano, algo assim, pq além do controle, o “aluno” aprende coisas do militarismo.
    Já o controlador civil, vai para São José dos Campos, fazer o curso de 10 meses de duração no ICEA (Institudo de Controle do Espaço Aéreo)…
    Falando nisso, parece q todo ano tem uns 2 concursos para ser controlador militar, já da Infraero, vai ter um esse ano, de 2011, inclusive já informado no próprio site da empresa. O último concurso, no qual eu entrei, foi em 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s